quinta-feira, maio 25, 2006

kd envolvimento

awee

vejamos se esse fato não chega a ser interessante e até mesmo curioso. quando penso nisso chego até a rir, de tão estranho e interessante que isso me parece. quem aqui nunca se sentiu envolvido por alguém ou alguma coisa? já pararam para pensar em como nós ficamos quando nos envolvemos demasiadamente por alguma coisa? é como se na vida tudo estivesse resumido àquilo. qualquer coisa que você faz, na sua mente, está ligado com aquilo. tudo gira em torno do objeto ao qual você está envolvido. é como você estivesse preso, sua mente não consegue sair, desviar a sua atenção e às vezes até mesmo se concentrar! e o pior, você fica assim e na hora você nem mesmo se dá conta! e ainda está gostando de ficar assim! parece que você está no paraíso. passa o dia todo só pensando em quando chegar a hora de entrar em contato com o objeto do envolvimento.

mas como já diz o provérbio budista "a única permanência é a impermanência". esse envolvimento um dia acaba. não tem para onde fugir. tanto faz você está menos envolvido ou muito envolvido; vai simplesmente acabar. e tão interessante quanto o envolvimento em si é quando você perde esse envolvimento, seja por qual motivo for. De inicio você fica desesperado. é como se o alicerce sobre o qual você estava de repente desabasse, e você não sabe para onde ir, o que vai fazer para se reerguer. e assim o tempo passa. passam-se os dias, as semanas. consequentemente você muda. muda a forma que você vê a vida no momento. de repente, sem nem ao menos dar-se conta disso, você cria um novo alicerce (esses alicerces são tão fáceis de encontrar!), talvez não tão firme na sua base quanto o antigo, mas ele está lá, deixando-o de pé. e como você se sente em relação ao antigo objeto de envolvimento? estupefato. não retrata, de fato, como a pessoa se sente, mas é a única que consigo pensar que chegue perto. você rir-se. ri de si mesmo. como foi que eu cheguei a ficar daquele jeito? a deixar a minha vida girar em torno daquilo? um alicerce tão fraco? estava cego quando fiz aquelas coisas? quando você relembra para que não era você mesmo. está tão longe agora! parece séculos! você agora está livre! sente-se como um pássaro que está a voar, sentindo o vento bater-lhe no rosto, uma visão panorâmica da vida.

não acham curioso isso?
demais!

flewww

2 comentários:

João Paulo disse...

é curioso mesmo, parece que você não consegue mais viver sem aquilo, mas você, antes, vivia sem problema. minha visão dessas coisas mudou muito, de uma maneira boa, acho. a gente tem que ser o mais cínico possível, tem que ignorar essas coisas, não procurar alicerce nenhum, não se deixar levar, não entrar na onda... porque é como tu falou aê, um dia acaba, e vou passar por tudo de novo?! Vale a pena?

Life Wasted disse...

porra, isso é verdade ! a gente se envolve numa coisa que nem é tao importante assim, que os outros acham bobagem enquanto a gente vive praquilo... mas cada um tem a sua futilidade, e isso é bom, mantem a gente preocupado, pq na verdade a gente nao tem q se preocupar com nada, pq nada é importante, e da até um sentido pra vida... qdo a gente nao ta envolvido, quer se envolver e sente saudade de estar envolvido, num mundo parelelo que a gente cria pra gente mesmo... r0xest