sábado, junho 25, 2011

Ressaca


acordei como que pela
primeira vez.

o vento brisava a janela,
o sol cegava-me,
respirar doía,

e na minha cabeça
os nervos gritavam
sensíveis,
suas vozes como
milhares de açoites.

nasci.

filho de um parto
pós-maturo da noite.

André Espínola

1 comentários:

Caranguejúnior disse...

Foda! filhos de um mundo bêbado.

Abrax da lama de concreto!