quarta-feira, outubro 22, 2008

Tarzan no Recife

Foto: Felipe Ferreira

um dia, bêbado,
eu vagava pelo Recife Antigo

perguntando-me
qual seria meu destino.

pergunta inoportuna,
revelando que ainda restava,
no mínimo,
uns fios de lógica
e
uns ares perdidos
de sobriedade.

portanto retornei ao bar
e aos trabalhos
com a cerveja.

quando já amanhecia
e os postes aos poucos
se enfraqueciam,

olhei para o Recife Antigo e suas ruas
palidamente iluminadas
entre a noite e o dia.

olhei seus sobrados coloridos,
suas esquinas,
e um carro que ainda dormia.

olhei uma bicicleta que carregava
um passante,
e o emaranhado de fios elétricos
que ligavam cada árvore velha de concreto
à uma outra árvore ainda mais velha
de concreto.

enfim concluí
que,

no Recife Antigo,
seguindo por essa rua
adiante,

de cipó em cipó
logo Tarzan chegaria
no Marco Zero.

André Espínola